Resenha Literária #5: Sobre a Leitura - Marcel Proust

by - fevereiro 12, 2018

Resultado de imagem para marcel proust
Fonte: link

Finalmente, concluí minha primeira leitura de fevereiro. Na verdade, terminei o livro dia 08/02, mas só vim postar a resenha hoje por motivos de outras programações. Agora, estou decidindo entre ler algo do Tolstói ou passar para King e Poe. 
Um tempo atrás, publiquei na minha linha do tempo do facebook uma lista de livros que estava procurando para comprar ou pegar emprestado, e uma amiga minha se ofereceu para emprestar Walden (Thoreau) e junto com ele, me indicou a leitura de Infância, Adolescência, Juventude (Tolstói) e Sobre a Leitura (Marcel Proust). Por fazer parte da coleção das 96 páginas da L&PM, optei por iniciar o mês com uma leitura mais curta, já que o último que li me deixou meio "empacada" e tenho certa dificuldade para ler quando estou em casa. Felizmente, funcionou, e agora concluí 50% da meta de leitura do mês, que é a de ler dois livros. Estou tentando melhorar, e pretendo ler quantos livros conseguir. 

Título: Sobre a Leitura - Seguido do depoimento de Céleste Albaret
Autor: Marcel Proust
Páginas: 96
Editora: L&PM Editores
Ano: 1905 (escrita do texto)
Gênero: Literatura Internacional
SINOPSE: Entrevista com Céleste Albaret concedida a Sonia Nolasco-Ferreira, publicada originalmente na Revista 80, no inverno de 1983. “...meus pais pronunciariam cedo demais a frase fatal: ‘Agora, feche seu livro, vamos almoçar’.” A partir de recordações da infância Marcel Proust traz ao leitor uma série de reflexões sobre o ato de ler. Passando por nomes como Homero, Shakespeare e Racine, o autor de Em busca do tempo perdido explora as relações entre autor e leitor, e revela – a leitura é uma amizade sincera. Publicado originalmente como prefácio de Sésame et les Lyz, de John Ruskin, em 1905, “Sobre a leitura” acabou ganhando vida própria e, pelos olhos de um grande leitor, nos mostra o que há de mais maravilhoso no ato de ler. Neste volume o leitor também encontrará um depoimento de Céleste Albaret a jornalista Sonia Nolasco-Ferreira. Céleste cuidou de Proust durante dez anos, até a morte do autor, em 1922, e, mais do que uma governanta, se tornou amiga e confidente de “Monsieur Proust”.

RESENHA: Como foi citado na sinopse, "Sobre a Leitura" foi escrito originalmente como o prefácio do livro "Sésame et les Lyz", de John Ruskin, em 1905. Ou seja, é um texto bem antigo, e por conta disso, possui uma linguagem mais difícil. Para mim, que não estou acostumada, foi uma leitura um tanto quanto complicada apesar das poucas páginas. O texto segue sem divisão de capítulos até a página 56, onde inicia então o depoimento de Céleste Albaret, ex-funcionária e amiga de Proust. 
Na primeira parte, onde podemos encontrar então o texto integral, Proust nos traz uma reflexão sobre a leitura em sua infância e como começou a se interessar, criar gosto pela leitura. Ao longo do texto, vai citando sobre a importância da leitura e dos momentos onde estamos lendo, que serão recordados no futuro com carinho, e ele também reflete sobre a importância dela em nossas vidas. Possui uma linguagem culta, explicada pela época do texto, mas que se consegue fazer entender após alguns momentos de insistência. 
A parte do depoimento de Céleste foi muito mais tranquila e fácil para ler. Tanto uma quanto outra, terminei em pouquíssimas horas, se é que cheguei a demorar tanto. Céleste busca em seu depoimento contar sobre como foi sua vida ao lado de Marcel Proust depois de se mudar para a casa dele para trabalhar até o dia 18 de novembro de 1923, quando a vida acabou para ele. Os dois ficaram bastante íntimos nesse período de tempo, e Céleste se tornou amiga e confidente do autor, que passava por extensas crises de asma. Ela conta sobre as horas que passava ouvindo os relatos de Proust sobre bares e pessoas e como mais tarde teve a oportunidade de encontrá-los novamente em seus livros, além da última viagem que fizeram à Cabourg e diversos boatos que surgiram a respeito do autor.
Essa se tornou uma leitura ao mesmo tempo leve, pelo tamanho, e pesada, pelo nível de conhecimento que ela exige e transmite ao leitor. Ainda assim, trouxe bons quotes que certamente anotarei para vocês logo abaixo. É uma leitura que indicaria principalmente para quem gosta de ler esse tipo de texto e quer se aventurar em algo mais cult (risos), mas se você gosta muito de ficção, romance e não tiver interesse, tudo certo também.

QUOTES:
“Os livros desempenham então um papel análogo ao dos psicoterapeutas para certos neurastênicos”.

“Da pura solidão, o espírito preguiçoso não pode tirar nada, pois é incapaz de, sozinho, por em movimento a sua atividade criativa. (…) A única disciplina que pode exercer uma influência favorável sobre estes espíritos é, portanto, a leitura…”

“Sem dúvida, a amizade, a amizade que diz respeito aos indivíduos, é uma coisa frívola, e a leitura é uma amizade. Mas ao menos é uma amizade sincera, e o fato de dirigir-se a um morto, a um ausente, lhe dá qualquer coisa de desinteressada, quase tocante”.

“Talvez não haja na nossa infância dias que tenhamos vivido tão plenamente como aqueles que pensamos ter deixado passar sem vivê-los, aqueles que passamos na companhia de um livro preferido”.

“… tudo isso que a leitura nos fazia perceber apenas como inconveniências, ela as gravava, contudo, em nós, com uma lembrança tão doce (muito mais preciosa, vendo agora à distância, do que o que líamos então com tanto amor) que se nos acontece ainda hoje folhearmos esses livros de outrora, já não é senão como simples calendários que guardamos dos dias perdidos, com a esperança de ver refletidas sobre as páginas as habitações e os lagos que não existem mais”.

“O que as leituras da infância deixam em nós é a imagem dos lugares e dos dias em que elas foram feitas”.

“Depois a última página era lida, o livro tinha acabado. Era preciso parar a corrida desvairada dos olhos e da voz que seguia sem ruído, para apenas tomar fôlego, num suspiro profundo”.

“Procurei mostrar […] que a leitura não poderia ser assimilada a uma conversação, mesmo com o mais sábio dos homens; que a diferença essencial entre um livro e um amigo não é a sua maior ou menor sabedoria, mas a maneira pela qual a gente se comunica com eles, a leitura, ao contrário da conversação, consistindo para cada um de nós em receber a comunicação de um outro pensamento, mas permanecendo sozinho, isto é, continuando a desfrutar do poder intelectual que se tem na solidão e que a conversação dissipa imediatamente”.

Alguém aí já leu Proust e tem outros livros dele para me indicar? Mantenho meu interesse e certamente voltarei a ler mais do autor. Se já leram esse, o que acharam?

You May Also Like

10 Comentários

  1. Tenho A Fugitiva de Proust, ganhei há uns 3 anos e tentei ler na mesma hora, mas fiquei intimidada pelo vocabulário mais complexo e acabei deixando de lado. Esses quotes me trouxeram a vontade de lê-lo agora. Parece ser um livro bom, com uma dinâmica bem diferente.

    um beijo,
    acid-baby.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo! Quase me deixei intimidar também. Que bom que consegui passar isso pra você! :)

      Excluir
  2. Não conhecia o autor, mas esse ano estou querendo ler livros novos e sair um pouco da zona de conforto. Estou lendo meu primeiro livro do Tolstói e quero ler mais literatura russa, mas tenho uma queda (melhor chamar de "tombo" haha) por literatura francesa e esse livro "Sobre A Leitura" chamou muito a minha atenção haha Irei procurar saber mais sobre Marcel Proust =D
    Ótima resenha!

    Beijão
    Toca da Lebre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas, Dora! Tenho vários russos na lista, mas de francês, acho que era só o Proust mesmo e ele entrou muito por acaso! Hahaha!

      Excluir
  3. Oie Carol =)

    Não conhecia o livro e o autor, mas pela sua resenha tenho a sensação que para esse momento da minha vida a leitura seria um pouco maçante.

    Mas fico feliz em perceber que para você a a leitura foi gratificante ^^

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir

  4. Hey Carol!
    Adorei um pouco da sua leitura e as várias frases, tambem to tentando aumentar as minhas leituras mensais
    Adoro ler esses mais clássicos e estou querendo ler tambem, adorei as frases, já quero marcar hahahaha
    "
    O que as leituras da infância deixam em nós é a imagem dos lugares e dos dias em que elas foram feitas"
    amei!

    ja aproveitei e segui seu blog
    Beijocas da Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol

    Nunca li nada do autor e, apesar de ter planejado ler algumas coisas mais substanciais esse ano, acredito que, para mim, essa seria uma leitura enfadonha.
    Curti bastante a sexta quote!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Entendo completamente! Todos temos nossas fases, né?

      Excluir

Olá! Seja bem-vindo e sinta-se em casa. Ficarei imensamente feliz em ler sua opinião sobre essa postagem. Logo, logo, farei uma visitinha em seu blog para retribuir. ♥